Daniela Mercury e blocos de rua dominam pré-Carnaval em São Paulo

Por blog alalaô

SILAS MARTÍ
DE SÃO PAULO

Um trio elétrico com Daniela Mercury, uma roda de samba num viaduto sobre a Nove de Julho, uma aula de jazz em pleno Minhocão e um saxofonista fantasiado de Chapolim liderando um bloquinho da Santa Cecília (centro) foram as caras do pré-Carnaval em São Paulo neste fim de semana.

Toda vestida de preto e coberta de paetês, Mercury levou 100 mil fãs, segundo a prefeitura, às avenidas Faria Lima e Rebouças, na zona oeste da cidade, com repertório que foi de axé a Legião Urbana e Roberto Carlos.

X

Ali, garotos descamisados pareciam ser maioria, mas também havia famílias com bebês –a passagem do trio elétrico, parte das comemorações do aniversário de 462 anos da cidade, deixou um rastro de lixo e vidro quebrado ao longo do trajeto, mas o clima era de paz e amor.

No Mirante 9 de Julho, bar que ocupa uma galeria sobre os túneis da avenida, o bloco Acadêmicos do Baixo Augusta fez uma roda de samba.

Nas caixas de som, antes da banda começar, a voz de Adoniran Barbosa. Lá embaixo, a av. Nove de Julho movimentada e atrás o museu cartão-postal da cidade –uma versão ultrapaulistana e comportada do Carnaval, que elegeu o negroni como o drinque da estação.

X

No Minhocão, uma experiência nada carnavalesca levou umas 70 pessoas a se arriscarem nos passinhos do lindy hop, um estilo de dança surgido nos clubes de jazz dos anos 1920 e 1930. Meninas de vestidinhos vintage e rapazes desengonçados se exibiam ali.

Uma tempestade atrapalhou o Espetacular Bloco do Charanga da França, que nem saiu do lugar na Santa Cecília. Vestido de Chapolim, o líder do grupo tocou seu saxofone debaixo da chuva.